Carregando Eventos
Este evento já passou.

A cidade está em clima de arraiá. E a preparação da festa junina do Lar dos Velhinhos Maria Madalena empolga os participantes que, mesmo com a idade avançada, não deixam a fogueira da tradição se apagar. No ensaio da quadrilha, fica claro que os idosos estão dispostos a fazer bonito na celebração, que ocorre amanhã e domingo. Seguindo os passos ditados pelos auxiliares da instituição, os quadrilheiros fazem, refazem, e se divertem na reta final dos treinos. Olívia Dutra de Souza, 95 anos, compartilha toda essa energia. “Estou animada, porque a festa vai ser bonita, a gente vai dançar muito”, diz.

Além de entreter, a festa tem como objetivo arrecadar fundos para a entidade. A venda de comida típica ficará a cargo de voluntários, que montaram barraquinhas de alimentos. O dinheiro recebido será dividido entre a entidade e os vendedores autônomos. O Lar dos Velhinhos Maria Madalena abriga idosos desamparados, oferecendo assistência médica, alimentação e habitação. Atualmente são 88 residentes.

O lar conta com a colaboração de diversos voluntários que ajudam a proporcionar uma estadia digna aos idosos. Domingos Cândido, 67 anos, mora na instituição há quatro anos e está impaciente para a festança. “Vou colocar uma roupa bem bonita no dia para ficar bem-apessoado”, comenta.

Todos os ensaios da quadrilha são coordenados pelos cuidadores, terapeutas ocupacionais, psicólogos e assistentes sociais do lar. Eles ajudam os velhinhos a executarem cada passo da dança. Os treinos ocorreram durante as últimas três semanas. Maria Alves Pereira, 68 anos, também não vê a hora da festa. “Vamos ter que estar animados para sermos jeitoso”, afirma. A aposentada ainda brinca que está sendo disputada por parceiros de dança. “Todo mundo quer dançar comigo, mas eu sou só uma. Vou ter que escolher um, e os outros vão ficar todos tristes”, brinca.

A festa será durante todo o fim de semana, a partir das 16h.  Além de comidas típicas, haverá brinquedos para crianças, música ao vivo e bazar. A comemoração é aberta à comunidade, com consumação à parte.  A festividade ocorre na própria instituição, localizada no Núcleo Bandeirante, no Setor de Mansões do Park Way.